VII Conferência e Assembleia Geral da Rede Global de Academias de Ciências (IAP)

Com o tema "Ciência para a Erradicação da Pobreza e o Desenvolvimento Sustentável", a 7ª Conferência e Assembleia Geral da Rede Global de Academias de Ciências (IAP) foram realizadas no período de 24 a 27 de fevereiro de 2013, no Rio de Janeiro. O evento reuniu representantes de 55 Academias de Ciências do mundo que, durante quatro dias, discutiram como pode a Ciência contribuir para a resolução de alguns dos principais desafios enfrentados no mundo contemporâneo; dentre estes os enormes desafios de erradicação da pobreza e da elaboração de alternativas sustentáveis de desenvolvimento. Outra questão fundamental discutida foi a potencial contribuição das Academias de Ciências do mundo para o processo de construção da Agenda Pós 2015, debate que ocupará papel central nos países e no sistema ONU, nos próximos meses.

A Conferência foi aberta na tarde do domingo (24/02), em cerimônia que contou com a presença do Ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marco Antonio Raupp. Além do ministro, participaram da mesa de abertura o presidente da Academia Brasileira de Ciências (ABC), Jacob Palis, e os co-presidentes da Rede Global de Academias de Ciências (IAP), Howard Alper e Mohamed Hassan.

Na manhã do dia 25/02 foi realizada uma sessão plenária que teve como foco "O Futuro que Queremos: a Contribuição da Ciência para a Superação dos Grandes Desafios Enfrentados pela Humanidade". O restante do dia foi reservado a grupos temáticos, que discutiram assuntos como letramento científico ("science literacy"); segurança alimentar; saúde global; segurança hídrica e saneamento; mudanças climáticas; e energias sustentáveis.

No último dia da Conferência foram realizadas três sessões plenárias. A primeira teve como foco o debate sobre como podem as Academias de Ciências do mundo trabalhar de forma colaborativa para contribuir com os esforços em prol da erradicação da pobreza e do desenvolvimento sustentável. A segunda sessão foi dedicada à apresentação e discussão de experiências e aprendizados dos Programas Grandes Desafios (Fundação Bill & Melinda Gates; USAID; Grandes Desafios Canadá; e Grandes Desafios Brasil). Logo após essa sessão, foi feito o lançamento oficial do edital de pesquisa "Grandes Desafios Brasil: Prevenção e Manejo dos Nascimentos Prematuros". Através desse edital - apoiado pelo MCTI, Ministério da Saúde e Fundação Bill & Mellinda Gates -, serão investidos R$ 16 milhões em estudos inovadores que visem melhorar o cenário da prematuridade no Brasil. Na terceira sessão plenária do dia, foram debatidas possíveis interações entre os Grandes Desafios e os desafios de erradicação da pobreza e de desenvolvimento sustentável. Essa sessão buscou discutir como os programas existentes, ou outros ainda por serem estabelecidos, podem se articular com o Grande Desafio de Erradicação da Pobreza e Desenvolvimento Sustentável.

Na etapa final da reunião, quando se construíram as conclusões e se discutiram as recomendações, foram aprovados dois produtos importantes. O primeiro foi a criação de um portal na internet, baseado no site do IAP, que divulgará, para a comunidade científica internacional, os programas de Grandes Desafios existentes e os editais abertos, através dos quais pesquisadores do mundo inteiro poderão ter acesso a oportunidades de financiamento para pesquisas que trabalhem com temas relacionados aos Grandes Desafios. O segundo produto foi a aprovação da Carta do Rio. Esse manifesto, subscrito pelas principais Academias de Ciências do mundo, conclama a comunidade científica internacional a se engajar na construção de conhecimento científico que contribua para superação dos principais desafios enfrentados pela humanidade, dentre estes a erradicação da pobreza e o desenvolvimento sustentável.

O dia 27/02 foi dedicado à Assembleia Geral do IAP. Ao longo do dia, os representantes das Academias fizeram um balanço das atividades da rede nos últimos três anos, discutindo, na sequencia, os passos futuros da organização. Foram também discutidas e aprovadas as recomendações oriundas da Conferência. Dentre estas destaca-se uma apresentada inicialmente pelo Ministro Marco Antonio Raupp, e referendada pela ABC, que aponta para a criação de um comitê, a ser constituído por um grupo de Academias de Ciências, que terá por atribuição elaborar recomendações a respeito de ações que possam contribuir para a erradicação da pobreza. A formação desse comitê, que funcionará no âmbito do IAP, será discutida na primeira reunião do novo Comitê Executivo da rede. 

A Assembleia Geral foi encerrada com a eleição dos novos co-presidentes e Comitê Executivo. Mohamed Hassan e Volker ter Meulen, respectivamente do Sudão e da Alemanha, passam a dividir a co-presidência do IAP. Para o Comitê Executivo foram eleitas as seguintes Academias: África do Sul, Brasil, Canadá, China, Cuba, Estados Unidos, França, Índia, Itália, Japão e México. Na votação, a ABC foi eleita com o maior número de votos, 51 de 55, resultado somente igualado pela Academia de Ciências dos Estados Unidos. Tal votação é não só um reconhecimento da importância da Ciência desenvolvida no Brasil, como também do papel de destaque que tem desempenhado a ABC no cenário científico internacional.










webTexto é um sistema online da Calepino